Balão Instragástrico

Balão Instragástrico

Milhares de pessoas no mundo já fizeram o tratamento com Balão Intra gástrico.São muitas pessoas sentindo-se felizes e de bem com a vida! A manutenção do peso, independente do método que se escolha para o emagrecimento, depende de disciplina. Para isso o Stúdio Koinobori conta com um acompanhamento personalizado de Nutricionista especializado em dieta pós balão, aulas de plataforma vibratória e tratamentos estéticos avançados. A equipe médica é quem determinará a frequência desse acompanhamento, pois o apoio da equipe, aliado a aderência do paciente é de extrema importância para o melhor resultado do tratamento.

Balão Intragástrico

O balão intragástrico é um dispositivo de silicone flexível que tem como objetivo preencher um espaço no estômago do paciente e, assim, promover a sensação de saciedade e facilitar o processo de emagrecimento saudável. Ou seja, auxilia o paciente a se sentir mais satisfeito comendo menos, já que parte do seu estômago estará preenchido pelo balão intragástrico. É justamente assim que o balão intragástrico facilita o processo de emagrecimento saudável, pois provoca a sensação de saciedade e consequentemente ajuda no controle da quantidade de alimento ingerido.

O Sistema é registrado na ANVISA como tratamento médico para sobrepeso e obesidade de pessoas com IMC a partir de 27 kg/m2.

Procedimento

A colocação não envolve corte nem cirurgia, já que ele é inserido através de procedimento endoscópico, e leva cerca de 20 a 30 minutos. O balão é inserido “murcho” por um procedimento endoscópico. Uma vez dentro do estômago, o balão é imediatamente preenchido com solução salina esteril por um pequeno tubo de enchimento (cateter). O balão possui uma válvula auto vedante e, após o enchimento, o cateter é cuidadosamente removido. Uma vez cheio, o balão será grande o suficiente para não sair do estômago.

É possível que haja algum desconforto nos três primeiros dias seguintes da colocação, como os efeitos colaterais de náusea, vômito, inchaço e/ou cólica, mas o médico frequentemente prescreve medicação para controlá-los até que o estômago acostume-se com a presença do dispositivo e não haja desconforto.

IMC

Segundo dados da pesquisa Vigitel Saúde realizada pelo Ministério da Saúde em 2009, cerca de 46,6% da população brasileira adulta têm sobrepeso (IMC de 25 a 29,9 kg/m2 com risco elevado de doenças associadas) ou obesidade (IMC maior do que 30 kg/m2 com risco muito elevado de doenças associadas). Isso significa que quase uma em cada duas pessoas tem potencial de ganhar qualidade e mesmo expectativa de vida ao perder alguns quilos.